quarta-feira, 11 de julho de 2007

João da Silva em apuros - Cap.II




Os dias foram passando a João ficava cada vez mais insatisfeito.
Ele trabalhava por cinco e cinco não faziam nada por ele.
Ana, auxiliar administrativo, entrava as 8:00h e saia as 14:00h, 6 horas diárias e ganhava R$ 1.500, 00 e mais 80 horas extras por mês, Paulo, auxiliar administrativo, trabalhava 6 horas por dia e ganhava R$ 1.500,00 mais 80 horas extras, o diretor vinha duas horas no máximo por dia, o chefe imediato quatro e da chefia ninguém sabia o valor do salário.
João da Silva trabalhava 8 horas por dia, sábado, domingo e feriado e ganhava R$ 500,00 e nenhuma hora extra. Tentou reclamar no sindicato, inútil, ou eram comprados ou incompetentes, aconselharam a desistir.
Pensou em largar o emprego, como sobreviveria?
Falcatruas, falsas licitações, grande soma de dinheiro corria por baixo do pano. Era assim a gestão do Prefeito Dorival Pinto.
Trabalhadores cumpriam suas horas de trabalho na sua mansão, pintores, pedreiros, faxineiros, motoristas, todos já faziam parte do dia a dia da família do meu patrão. E eu, enojado, mal comigo mesmo, decidi pedir transferência de setor.
- Quero trabalhar de gari...
-Pediu pra trabalhar de gari? Eu quero o divórcio.
-Mas muié...O importante é ser honrado. Prefiro o lixo das ruas.
-Divórcio. Se for trabalhar de gari eu to fora! Deixa de frescura homem! Entra no esquema deles. Já ta provado que quem participa só ganha.
-E minha honra?
-Fôda-se com sua honra! Honra não enche barriga.
Desistiu da transferência. Tinha que ter uma saída. Estava no limite.
-João...
-Sim Sr. Diretor.
-A partir de hoje você trabalha 12 horas por dia. Estamos com o serviço atrasado.
-Mas senhor...
-Sem desculpas. Eu sei que você agüenta. Você é o melhor funcionário que temos.
-Vou ganhar extra pelo menos?
-Ora, ora. Esse ambiente está corrompendo nosso melhor profissional? E o engajamento? Prometo indicar seu nome para a próxima promoção.
-Mas senhor...
-Sem, mas. Agora volte ao trabalho.
João sabia que promoções na atual gestão era assunto proibido. O Prefeito só promovia os parentes.
Quando chegou para trabalhar no dia seguinte a porta principal tinha sido arrombada...




(continua...)

2 comentários:

Maria Júlia Pontes disse...

caraca Me, cadê o resto?..hahaah fez de propósito né? agora é esperar a parte III, difûdê!!!
bj
Mj

Barbara disse...

Vc vai sacanear o coitado? To até prevendo,kkkkkkk